Historial.

  • Tudo começou com o serviço de um ano de Voluntariado numa das missões Dehonianas, dos Sacerdotes do Coração de Jesus, na Cidade do Gurúè, localizada na província da Zambézia, Moçambique.
  • Integrando a Associação dos Leigos voluntários dehonianos, Célia Queirós, enfermeira, com licença do Ministério da Saúde e do hospital onde exerce a sua profissão em Portugal, trabalhou na referida cidade Moçambicana, no ano de 2001. Tomou conhecimento da realidade de muitas crianças dependentes de instituições que também experimentam a falta de recursos económicos para delas cuidar. Em parceria com um padre italiano, Don Luciano, que trabalha na diocese do Gurúè e com o Professor Doutor Luigi Bosco, médico cirurgião, voluntário no hospital da referida cidade, iniciou-se em 2002 uma nova missão: encontrar pessoas que ajudassem à subsistência de uma instituição em particular, Lar Arco Íris, através do apadrinhamento das crianças.
  • Em Portugal associaram-se a este trabalho, Maria Santos (Voluntária um ano em Moçambique em 2001), Laura Ramoa (Voluntária um mês em Moçambique em 2002) e Lucília Figueiras (Voluntária um ano em Moçambique em 2002). Entretanto, o número de colaboradores, padrinhos, começou a aumentar e tornou-se numa obrigação, a criação de uma associação que permitisse um trabalho de grupo e garantisse o futuro deste projecto.
  • E assim, após estes 4 anos, surge o nome, a Associação, que exercerá a sua função de Servir os “mais pequeninos”, com os que já são e com os que querem vir a ser Padrinhos Dáfrica.

Afinal!

No dia 29 de Novembro de 2005

Célia Maria Lopes de Queirós

Luigi Bosco

Justino Teixeira Soares Constante

Ana Lucília Campos Figueiras

Laura Armanda Ramoa Braga

Feliciano de Sousa Moreira Garcês

José Luís Loureiro da Silva

Constituíram uma associação sem fins lucrativos, denominada “ASSOCIAÇÃO PADRINHOS DÁFRICA”.